sexta-feira, 20 de agosto de 2010

- NOSSO LAR - FILME --- IMPORTANTE INFORMAÇÃO

- NOSSO LAR - FILME




--- IMPORTANTE INFORMAÇÃO

----- Atenção, espíritas e não espíritas!
O que se segue é importantíssimo!
Vale a pena ler, mesmo por que, quando fez
a psicografia de "Nosso Lar", nem o próprio Chico Xavier
- conforme confessou - acreditou em tudo que André
Luiz relata nesse portentoso livro. Tanto foi assim que
o médium de Uberaba, ao ser concluída a psicografia,
pegou o apanhado dos rascunhos e o guardou num
canto qualquer, para pensar melhor se deveria mandá-lo
à editora ou não. Passados uns dias, eis que lhe surge
à frente, quando já se preparava para deitar, seu mentor
espiritual Emmanuel. Estava de cenho carrancudo e
inquiriu Chico sobre o destino que pretendia dar ao
calhamaço de folhas rascunhadas. Confessou ao mentor
que tinha dúvidas sobre a veracidade de vários fatos.
Emmanuel deu-lhe severa admoestação e lhe disse que,
sobre o que escrevia André Luiz não pairassem em sua
mente quaisquer sombras de dúvida, pois tudo se passa,
em "Nosso Lar", exatamente como lhe fora ditado.
Que colocasse imediatamente o referido livro no prelo!
Então vale a pena ler o conteúdo deste e-mail e repassá-lo
intensivamente a todos os seus correspondentes,
espíritas ou não, poois o melhor serviço que podemos
prestar ao Espiritismo é a sua divulgação.
Carinhosamente, Humberto.



Repassando do amigo Zonzo.


Recebi este e-mail da Associação Espírita do Estado do Ceará, divulgando carta escrita pela assessora do produtor do filme Nosso Lar, a qual fala sobre o filme. Repassando pq achei interessante a carta.É interessante, em termos culturais, mesmo para quem não acredita no espiritismo.

Um comentário:

Adilson disse...

Sou um católico, que ultimamente tem lido muito sobre o espiritismo. Já tive a felicidade de ler "O nosso lar", um bom livro que nos enche de esperança de uma vida após a morte.
Quem quiser aprofundar no assunto, aconselho ler "Memórias de um suicida", que é muito mais rico em detalhes do Além. Obra mediúnica de Yvonne A. Pereira, atribuida ao escritor português: Camilo Castelo Branco.
Adilson Santana
Alagoinhas-BA